Protecção de Culturas

Um dos meios para proteger as culturas de videira das infecções de fungos são as tecnologias químicas, embora estes patogénicos não sejam relevantes para a selecção clonal. Assim sendo, a PLANSEL não efectuou estudos neste campo, abordando estudos já efectuados por algumas entidades do sector de viticultura (ISA: Pinto Ganhão, Helena de Oliveira, Cecília Rego) e também pela indústria química. Nos anos 80 e no início dos anos 90 não existia uma resposta por parte da indústria química no caso específico do fungo do lenho e do Agrobacterium. Nesta altura existiam dificuldades na viticultura mais relacionadas com necroses nas plantas, havendo mesmo a degradação total de novas plantações, e neste caso a PLANSEL tentou encontrar novas soluções (Agrobacterium vitis, Cilindrocarpon destructans, Botriosphaera dothidea). Segundo o artigo de Helena de Oliveira sobre o diagnóstico das doenças do lenho, sabe‑se actualmente que a complexidade destes patogénicos é mundial e não existem soluções nesta área.

 

Projectos

  • 1993 ‑ Projecto PLANSEL: Controlo sanitário com Agrobacterium vitis na LaLeFo. Neustadt, em colaboração com o ISA Lisboa (Helena de Oliveira).
  • 1995 ‑ PAMAF ‑ IED n.º 6016 – Distribuição geográfica, controlo e caracterização da Botryosphaeria dothidea em videiras; parceiros: Universidade do Algarve, Estação Agronómica dep. Fitopatologia, colaboração PLANSEL.
  • 2000 ‑ Experimentação de saneamento de material vitícola em água quente.
^