Saneamento Sanitário de Clones Infectados

Actividades

Portugal possuía uma grande tradição de saneamento de viroses e ao longo dos anos foi‑se observando em todas as castas um elevado nível de infecções das diversas viroses vitícolas. Nos anos 60, Humberto Dias e Amarílis Mendoça sanearam um elevado número de clones (termoterapia), sendo conservados in situ pelos serviços de protecção de plantas (CNPPA). Já no final dos anos 80, a PLANSEL, membro da ICGV (Internacional Council of Grapevine Virus) estabeleceu um protocolo com a EAN (Estação Agronómica Nacional) (Prof. O. A. Sequeira) e paralelamente com a ENTAV – Espiguette (França) para o saneamento de clones das castas mais importantes, através da micropropagação do tecido do meristema apical. Outro projecto realizado em Montemor‑o‑Novo permitiu o saneamento de clones em larga escala (aproximadamente 50), sendo estes conservados como germoplasma ex situ. Observou‑se, ao longo dos anos, que ainda não foram encontrados clones isentos de viroses, como é o caso de algumas variedades como o Alvarinho e Sercial / Esgana Cão.

Nas plantações de clones saneados in situ não foi possível encontrar variações genéticas, com duas excepções na fase de experimental inicial, reconhecendo‑se que era importante reduzir a fase de demora do meristema na cultura do tecido, com substâncias químicas, para evitar variação somaclonal. Na sequência nunca mais havia indicações de instabilidade genética. Com colaboração internacional, os parceiros da PLANSEL recuperaram em grande quantidade clones infectados de vírus mas com interesse agronómico. (Mas no processo de admissão à certificação, a DGPC suscitou inesperadamente dúvidas relativamente à técnica de saneamento.)

No entanto, em 2005, os Serviços de Protecção de Plantas proibiram a certificação de clones descendentes de saneamento, que inicialmente eram tolerados. Ainda que co‑financiado por vários projectos, depois de salientar que noutros países esta técnica é usual para os clones certificados, o material foi extinto e o conservatório dos clones eliminado (Germoplasma).

 

Publicações

  • Eliminação de vírus na protecção sanitária da videira; Hans Jörg Böhm, Ana Paula Jacob, Óscar de Sequeira; Vida Rural; pág. 87‑89; Julho 2000
  • Saneamento meristemático de clones de videira em Portugal com apoio da Agência de Inovação; (2001), Hans Jörg Böhm, Ana Paula Jacob, Constantino Sequeira, Óscar de Sequeira; Vida Rural; Out/01.

 

Projecto

  • 1999 ‑ IC‑PME (EUREKA): Saneamento Meristemático de clones de videira. Parceiros do projecto: Escola Superior Agrária de Santarém; Estação Agronómica Nacional – Dep. Fitopatologia.
^