Selecção sanitária

Actividades

Estratégia sanitária com os clones candidatos à selecção. Foi realizada uma acção de modo a cumprir as exigências sanitárias da legislação nacional (port. 1137/91), com 17 viro‑tipos distintos, Agrobacterium vitis e fitoplasma, por técnicas de indexagem e serológicas, com subdivisão dos encargos aos membros da ICVG internacional (Changin Suiça ‑ Prof. Guggerli; Cornell Univ. NY, Prof Denis Gonsalves; INRA Colmar França, Prof. Walter e Eng. Legin; Prof. G. Martelli, Univers. Bari; Instituto Neustadt Mussbach, Sra. Rüdel, eng. Ibach). Esta acção foi necessária pelo facto de as exigências fundamentalistas na referida legislação e também pela falta de condições nos laboratórios de rotina ou serviços especializados nestas técnicas, como a falta de matérias‑primas (exemplo, soros para ELISA).

Foram realizados testes ELISA em todas as fases de multiplicação, no próprio país, na maioria na Bioreba Suiça com soros adicionais de Changin, da INRA (Walter), da Uni Bari (Martelli), da Univers. Cornell ‑ Geneva NY. EUA. (Nesta época, com a própria falta de admissão à certificação do material de selecção, os serviços competentes iniciaram um controlo sanitário dos viveiros, mais especificamente nos materiais standard, chegando mesmo a reprovar viveiros, levando novamente a uma clandestinidade e venda de plantas sem identificação).

A PLANSEL, durante este tempo (1990), fez a multiplicação dos seus candidatos a clones, realizando um controlo planta por planta dos materiais iniciais e ainda a criação de famílias sanitárias (testes ELISA realizados na EAN e na Bioreba na Suíça, em grande quantidade). No início dos anos 90 foram também realizadas enxertias de “indexagem lenhosa”, com o apoio da EAN, com todos os candidatos a clones da PLANSEL e 20 clones da RSNV, muitos com resultados positivos que foram também testados por ELISA. Neste caso, existia um apoio do INRA (França) nos testes dos porta‑enxertos, o que permitiu a pré‑multiplicação e o germoplasma in situ.

Já no início da última década foram realizados adicionalmente os testes de “indexagem em verde” de todos os clones candidatos à homologação (o que contribuiu para a identificação dos 4 vírus do lenho) pela subcontratação da Estação de Vitivinicultura de Neustadt/Mussbach Alemanha (Dra. Ibach). Os clones da JB‑PLANSEL foram testados por Agrobacterium vitis por Thomas Schultze, Forschungsanstalt Neustadt, em colaboração com o Instituto Superior de Agronomia (ISA) para eventuais esclarecimentos. A flavescência dourada (fitoplasma) foi realizada por testes ELISA. A PLANSEL, em colaboração com o departamento entomológico da Universidade de Évora (Jorge Araújo), proporcionou a realização de uma tese de doutoramento comprovando a ausência do vector da flavescência dourada no Alentejo.

O custo financeiro do cumprimento das regras sanitárias fez com que os seleccionadores públicos tomassem a decisão estratégica de desfavorecer a certificação e optar por um sistema alternativo sem controlo sanitário. Foi por isso necessário encontrar soluções viáveis, fazendo com que as entidades públicas envolvidas na selecção tivessem exigências sanitárias reduzidas ou menos caras. Assim sendo, a PLANSEL investigou novas técnicas de análises simplificadas, como a técnica de PCR e a serologia com anticorpos complexos.

 

Projectos

  • 1992/99 – NATO: Science for Stability Programme, PO‑940994 ‑Plant virus, Improving Nucleic Acid Techniques for Detection of Plant Viruses. Parceiros do projecto: Universidade do Algarve, BIOEID; INETI e Estação Agronómica Nacional – Dep. Fitopatologia, PLANSEL.
  • 1996 – PAMAF/IED n.º 6152: Avaliação da aplicabilidade de anticorpos anti‑RNA de cadeia dupla (ds RNA) no diagnóstico de um largo espectro de viroses em plantas. Parceiros do projecto: INETI e BIOEID, PLANSEL.
  • 2002 – AGRO 73: Desenvolvimento, Validação e Aplicação em larga escala de um kit de diagnóstico e de detecção de dsRNA viral. Parceiros do projeto: INETI – Instituto Nacional de Engenharia e Tecnologia Industrial; DGPC – Direcção Geral de Protecção das Culturas e NovoSol Plantas. PLANSEL.

 

Divulgação

A PLANSEL colaborou com a EAN – departamento Fitossanitário na organização de vários encontros e seminários da ICVG (International Council of Virus Diseases).

 

Publicações

  • O virus do enrolamento da videira (1991), Hans Jörg Böhm, Eduardo Martins, Vida rural, N.º 8/91.
  • Contribuição do sector privado na selecção de castas de videira portuguesas (1991), Óscar A. de Sequeira, Amarílis de Mendonça, Eduardo Martins (PLANSEL), Vida rural 22/91.
  • O ‘Agrobacterium’ na Vitis vinifera em Portugal. (1993), Thomas F. Schulz, Hans Jörg Böhm, Vida Rural 18/93.
^