Marufo (PT)

Variedade: Tinta | Categoria III | Portugal

marufo

Ficha da Casta

Marufo

Origem da casta: Nordeste de Portugal. A denominação Marufo não tem tradição. Menezes (1897) não a conhece. Mas foram referidos sinónimos históricos na literatura. Rui Fernandes (1512) fala de Mourisco (sinónimo regional) em Lamego, Lobo (1789) conhece o Abrunhal (sinónimo) em Pinhel.

Região de maior expansão: Beira Interior, Trás-os-Montes. Provavelmente, é uma das castas mais antigas. Dias (2004:6) comparou, por fenograma de distâncias, esta casta com diversas Vitis silvestris e encontrou grande semelhança com uma cultivar de Castelo Branco. Segundo comunicação pessoal de N. Magalhães, é uma casta dióica (feminina), por isso permite a suspeita de que foi uma casta com origem na V. silvestris da região.

Sinónimos oficiais (nacional e OIV): Não existem.

Sinónimos históricos e regionais: Abrunhal (Pinhel), Falso Mourisco, Mourisco Tinto (Douro), Marufa, Marujo, Mourico (Beira interior) Uva-rei (Trás-os-Montes).

Homónimos: Desconhecidos.

Superfície vitícola actual: 5.000 ha.

Utilização actual a nível nacional: Praticamente sem replantação.

Tendência de desenvolvimento: Em extinção.

Intravariabilidade varietal da produção: Não analisada.

Qualidade do material vegetativo: Casta sem selecção.

VVMD5 VVMD7 VVMD27 VrZag62 VrZag79 VVS2
Alelo1 Alelo2 Alelo1 Alelo2 Alelo1 Alelo2 Alelo1 Alelo2 Alelo1 Alelo2 Alelo1 Alelo2
228 232 235 239 183 194 188 192 247 257 145 147

Vinho de Qualidade DOC: «Valpaços», «Planalto Mirandês», «Porto», «Douro», «Távora-Varosa», «Beira Interior»

Vinho de qualidade IPR: «Valpaços», «Planalto Mirandês».

Vinho regional: «Trás-os-Montes», «Beiras».

Extremidade do ramo jovem: Jovem aberta, com orla carmim de intensidade média e baixa densidade de pêlos prostrados.

Folha jovem: Amarelada com tons acobreados, página inferior com média densidade de pêlos prostrados.

Flor: Feminina, com estames retroflectidos e pólen estéril, pelo que exige polinização cruzada (N. Magalhães, 2006, comunicação pessoal).

Pâmpano: Verde, com gomos verdes.

Folha adulta: Adulta grande, orbicular, com três lóbulos; limbo verde médio, irregular e ligeiramente bolhoso; página inferior com baixa densidade de pêlos prostrados; dentes curtos e convexos; seio peciolar pouco aberto, com base em V, e seios laterais abertos em V.

Cacho: Grande, cónico, medianamente compacto, pedúnculo de comprimento médio.

Bago: Ligeiramente achatado, médio e negro-azul; película de espessura média, polpa de consistência média.

Sarmento: Castanho amarelado.

Abrolhamento: Em época média.

Floração: Em época média.

Pintor: Em época média.

Maturação: Tardia.

Vigor: Elevado.

Porte (tropia): Semi-erecto.

Entrenós: Médios-grandes.

Tendência para o desenvolvimento de netas: Pouca.

Rebentação múltipla: Não há.

Índice de fertilidade: Médio/Alto.

Produtividade: Variável, mas pode ultrapassar 20 t/ha.

Estabilidade da produção (diferentes anos e localidades): Aneira.

Homogeneidade de produção (entre as plantas): Uniforme.

Índice de Winkler (somatório de temperaturas activas): Não estudado cientificamente; empiricamente considerado mediano.

Producção recomendada: 5.000 l/ha.

Sensibilidade abiótica: Sofre com o excesso temperaturas elevadas; escaldão.

Sensibilidade criptogâmica: Casta muito rústica.

Estado sanitário (sistémico) antes da selecção: Não estudado.

Sensibilidade a parasitas: Casta tolerante.

Tamanho do cacho: Grande (400-500 g).

Compactação do cacho: De solto até medianamente compacto.

Bago: Grande (2-3,5 g), ligeiramente achatado e de polpa geralmente rija ou consistente.

Película: Medianamente espessa, não apodrece facilmente, mesmo com humidade na fase final do período vegetativo.

Nº de graínhas: Médio; estas são normalmente bem desenvolvidas.

Sistema de condução: Adapta-se a qualquer tipo.

Solo favorável para obter qualidade: Xistoso e granítico.

Clima favorável: Temperaturas moderadas.

Compasso: Todos os compassos possíveis que correspondam às condições do solo e do clima.

Porta-enxertos: Não se conhece falta de afinidade. Recomendam-se os porta-enxertos tradicionais.

Desavinho/Bagoinha: Muito sensível.

Conservação do cacho após maturação: Não tem problemas.

Protecção contra ataques de pássaros: Não necessária.

Aptidão para vindima mecânica: Não há experiência.

Tipo de vinho: Vinho tinto de qualidade, vinho rosado aromático nobre e algum potencial para espumante.

Grau alcoólico provável do mosto: Em média 12,5% vol.

Acidez natural: Em média 6 g/l acidez total.

Autocianinas totais: Empiricamente baixas, mas não há referências a estudos científicos.

Índice de polifenóis totais (280nm) do mosto: Empiricamente baixo, mas não há referências a estudos científicos.

Sensibilidade do mosto à oxidação: Alta.

Intensidade da cor: Reduzida.

Tonalidade: Vermelho cravinho (rubi).

Taninos: Baixa, não estudado.

Sensibilidade do vinho à oxidação: Não oxida facilmente.

Análise laboratorial dos aromas: Não estudado.

Capacidade de envelhecimento do vinho: Baixo potencial de envelhecimento.

Recomendação para lote: Historicamente, com síria (branca) para vinho rosado; actualmente, com Rufete.

Potencial para vinho elementar: Não é habitual fazer-se.

Caracterização habitual do vinho: Vinho tinto de grande interesse, desde que no seu ambiente e em anos favoráveis. De cor pouco carregada, de rosado até rubi, macio e agradável na boca, com aroma floral, de sabor frutado, a groselhas e caramelo de café (toffee) com persistência, mas com envelhecimento menos favorável (L. Ribeiro, Cooperativa de Pinhel, comunicação verbal, 2006).

Qualidade do vinho: O vinho, devido à sua fraca coloração, actualmente está fora de moda. De facto, esta casta produz em Pinhel vinhos de aroma floral, similares aos vinhos Pinot, da Borgonha, e deverá ser observada com mais atenção no futuro. É pouco adaptável noutras regiões, onde apresenta vinhos menos favoráveis.

Particularidade da casta: Casta importante no passado recente, no tempo das grandes marcas de vinho rosado. Reconhece-se na vinha devido aos grandes cachos e ao elevado vigor vegetativo, com folhas escuras, grandes e arredondadas. Casta muito rústica, cujo vinho, devido à sua fraca coloração, está actualmente em abandono, mas tem potencial para produzir tintos menos carregados de pigmentos, de tipo similar aos da Borgonha ou do Vale do Reno.

Outras castas da mesma categoria: