Vinhão (PT)

Variedade: Tinta | Categoria III | Portugal

vinhao

Ficha da Casta

Vinhão

Origem da casta: Norte de Portugal. Fonsecca (1790:179) refere a casta com um sinónimo no Minho. Lobo (1790) conhece um Vinhão tinto, na ribeira de Vicella e no Basto. Gyrão (1822) conhece um Vinhão Molle, também no Minho. Vila Maior (1874) já utiliza a actual denominação. Segundo Truel (1984), foi introduzida no Douro, vinda do Minho, para melhorar a cor das suas castas.

Região de maior expansão: Minho.

Sinónimos oficiais (nacional e OIV): Souzao (AU), Sousón e Tintilla (E, OIV 1996); (denominação homónima da casta Sousão, do Vinho Verde, com o N.º oficial 272).

Sinónimos históricos e regionais: Por engano, Souzão no Douro; Espadeiro de Basto, Negrão, Caiño Gordo (E).

Homónimos: Desconhecidos.

Superfície vitícola actual: 6.100 ha.

Utilização actual a nível nacional: 1,2%.

Tendência de desenvolvimento: Crescente (2,2%).

Intravariabilidade varietal da produção: Intermédia.

Qualidade do material vegetativo: Material de selecção policlonal RNSV, clones certificados 90-96 ISA.

VVMD5 VVMD7 VVMD27 VrZag62 VrZag79 VVs2
Alelo1 Alelo2 Alelo1 Alelo2 Alelo1 Alelo2 Alelo1 Alelo2 Alelo1 Alelo2 Alelo1 Alelo2
222 226 235 259 189 189 188 196 245 251 135 137

Vinho de Qualidade DOC: «Vinho Verde» em todas as sub-regiões; na classificação «Douro» aparece ainda com a histórica denominação de Souzão.

Vinho regional: «Minho», «Trás-os-Montes».

Extremidade do ramo jovem: Aberta, com média pigmentação antociânica na orla e muito cotanilhosa.

Folha jovem: Amarela com manchas bronze; alguma pigmentação antociânica, em manchas. Cotanilhosa.

Flor: Hermafrodita.

Pâmpano: Nós e entrenós com estrias vermelhas na face dorsal, verdes na face ventral, gomos verdes. Gavinhas médias.

Folha adulta: Média, cuneiforme, com três ou, por vezes, cinco lóbulos; verde médio, perfil em goteira, fraca a fortemente bolhosa; dentes curtos e médios, rectilíneos ou convexo-concâvos; seio peciolar pouco aberto, em V; seios laterais superiores abertos com base em V; página inferior cotanilhosa, mas menos intensamente junto às nervuras principais.

Cacho: Médio, cilindro-cónico e alado. Compacidade média a forte. Pedúnculo médio de média lenhificação.

Bago: Médio e uniforme; arredondado; negro-azul. Película de espessura média e fortemente pruinado. Polpa ligeiramente corada, mole e suculenta. Pedicelo de comprimento médio.

Sarmento: Castanho amarelado.

Abrolhamento: 8 dias após a Castelão.

Floração: 6 dias após a Castelão.

Pintor: 6 dias após a Castelão.

Maturação: Tardia.

Vigor: Médio-forte.

Porte (tropia): Erecto.

Entrenós: Compridos/médios.

Tendência para o desenvolvimento de netas: Média.

Rebentação múltipla: Pouca.

Índice de fertilidade: Médio, 1,8 inflorescências por gomo abrolhado.

Produtividade: Índice medianamente produtivo (10.500 kg/ha). Valores RNSV: 6,46 kg/pl (média de, no mínimo, 40 cultivares, registada em Arcos de Valdevez, durante 4 anos).

Estabilidade da produção (diferentes anos e localidades): Regular.

Homogeneidade de produção (entre as plantas): Uniforme.

Índice de Winkler (somatório de temperaturas activas): 1.289 h (Arcos de Valdevez). 1.600 horas acima de 10° C, com produção de 10 t/ha (Montemor-o-Novo).

Producção recomendada: 8.000 l/ha.

Sensibilidade abiótica: Ao stress hídrico; sensível ao Escaldão; suporta mal a seca.

Sensibilidade criptogâmica: Alguma tolerância ao Oídio e ao Míldio; sensível à Esca.

Estado sanitário (sistémico) antes da selecção: 37% GLRaV3, <50% RsPV.

Sensibilidade a parasitas: Sensível aos Ácaros.

Tamanho do cacho: Médio/pequeno (160-200 g).

Compactação do cacho: Medianamente compacto.

Bago: Médio 1,5-1,7 g, redondo.

Película: Medianamente espessa.

Nº de graínhas: Elevado. 2,7-3,3 por bago.

Sistema de condução: Todos os tipos habituais.

Solo favorável para obter qualidade: Solos frescos.

Clima favorável: Susceptível ao Escaldão; pouco sensível ao vento.

Compasso: Não há exigências especiais.

Porta-enxertos: Devem ser adaptados ao local da plantação.

Irrigação: Recomenda-se em terrenos muito secos.

Desavinho/Bagoinha: Não susceptível.

Conservação do cacho após maturação: Pouco sensível.

Protecção contra ataques de pássaros: Pouco necessária.

Aptidão para vindima mecânica: Boa aptidão.

Tipo de vinho: Vinho Verde (leve), vinho de mesa (maduro) e Porto.

Grau alcoólico provável do mosto: Médio (11,5% vol.). Valores RNSV: 10,22% vol. (média de, no mínimo, 40 cultivares, registada em Famalicão, durante 5 anos).

Acidez natural: Elevada (7-9 g/l de acidez tartárica). Valores RNSV: 11,05 g/l (média de, no mínimo, 40 cultivares, registada em Famalicão, durante 5 anos).

Autocianinas totais: Valores RNSV: 1274,3 mg/l (média de, no mínimo, 40 cultivares, registada em Famalicão, durante 1 ano).

Índice de polifenóis totais (280nm) do mosto: 60. Valores RNSV: 43,57 (média de, no mínimo, 40 cultivares, registada em Famalicão, durante 1 ano).

Sensibilidade do mosto à oxidação: Baixa.

Intensidade da cor: Intensa. Já Cincinnato (1900) refere que a casta tem a particularidade de ter a polpa corada de vermelho, mas referiu que, no mesmo cacho, se encontram bagos com e sem polpa corada, enquanto, curiosamente, Vila Maior (1876) referiu que se pode fazer vinho branco de bica aberta com esta casta.

Tonalidade: 0,54, vermelho-granada.

Taninos: Monomérico 18,6 mg/l; Oligom. 65,2 mg/l; Polim. 611,2 mg/l.

Sensibilidade do vinho à oxidação: Baixa.

Análise laboratorial dos aromas: Vinosos, a frutos silvestres, ligeiramente adstringente.

Capacidade de envelhecimento do vinho: Boa.

Recomendação para lote: Com castas de reduzida cor, mas boa estrutura aromática, como a Borraçal.

Potencial para vinho elementar: Boa aptidão para Vinho Verde tinto tradicional.

Caracterização habitual do vinho: Vinhos de cor intensa, vermelho-granada, de sabor e aroma vinoso, onde se evidenciam os frutos silvestres (amora e framboesa), encorpado e ligeiramente adstringente.

Qualidade do vinho: Média.

Particularidade da casta: Única casta portuguesa de polpa ligeiramente corada, com capacidade tintureira. Casta de reduzida plasticidade geográfica, basicamente utilizada no Vinho Verde tinto.

Outras castas da mesma categoria: