Algarve

Região Vitivinícola: ALGARVE

Posicionado perto do Estreito de Gibraltar, o Algarve sempre se encontrou no caminho dos comerciantes navegadores do Mediterrâneo. Tartéssios, Fenícios e Cartagineses viveram durante muito tempo apenas dos recursos da costa algarvia. Da fase de província romana e mais tarde visigótica, ficaram vestígios em Milreu, Faro, Boca do Rio e Vilamoura. Em 711, o árabe Tarik ibn Zyad passou o Estreito de Gibraltar e derrotou o rei dos Visigodos. Em 712, Abd Al‑Aziz Ben Mussa conquistou o “Gharb Al‑Ândalus”.

Durante os cinco séculos de ocupação árabe, visíveis na cultura da região, apesar de oficialmente não se poder beber vinho, mantinha‑se a viticultura, não só de uvas de mesa. E não só se plantava a vinha, como se exportava o vinho produzido.

Desde a Reconquista do Algarve, em 1249, os Cristãos aproveitaram e incrementaram a organização económica deixada por aquele povo. Até à proclamação da República, os monarcas portugueses eram intitulados “Rei de Portugal e dos Algarves”. O Algarve tornou‑se importante como porto de partida, durante as Descobertas, sendo também um lugar importante de exportação do vinho. O terramoto de 1755 devastou esta região e, nos tempos posteriores, a viticultura perdeu importância. Apesar da instalação de cooperativas pelo Estado Novo, uma até de enorme dimensão, falhou a reconversão vitivinícola. Hoje, porém, com a demarcação da região e quintas de alta qualidade, o Algarve vitivinícola começa a recuperar o antigo prestígio.
“O Algarve, devido à sua proximidade do mar, ao clima, à vegetação suportada por sistemas sofisticados de rega, teve uma posição de destaque no País, no fim da Idade Média.

A localização meridional e a protecção, assegurada pela barreira montanhosa, contra os ventos frios do Norte, mais a exposição em anfiteatro virado ao Sul, fazem com que o clima seja acentuadamente mediterrânico: quente, seco, pouco ventoso, com amplitudes térmicas muito reduzidas e uma média de insolação acima das 3.000 horas de sol por ano. Os solos são litólicos, não húmicos, de arenitos, grés de Silves ou afins, regossolos psamíticos, solos mediterrânicos vermelhos ou amarelos de arenitos e de ranhas, podzóis e aluviossolos.” Por acção de grandes enólogos, especialmente do Alentejo, foram introduzidas castas adaptadas às novas tecnologias vinícolas. Graças a consideráveis investimentos e transferência tecnológica, hoje existem adegas modernas nesta região. Dada a tipicidade que as condições edafo‑climáticas conferem aos vinhos, existem no Algarve quatro Denominações de Origem, estimando‑se existir actualmente cerca de 2.000 ha de vinhas para produção de vinho.

A Comissão Vitivinícola do Algarve, com a sigla CVA, foi oficialmente designada como entidade certificadora para exercer funções de controlo da produção e comércio e de certificação dos produtos vitivinícolas com direito às DO Lagoa, Lagos, Portimão e Tavira e à IG Algarve.

 

Tipos de produtos vitivinícolas

Vinho IG ou regional Algarve: Tinto, Branco, Rosado, Licoroso Tinto e Branco.

Vinhos DO Lagoa, DO Lagos, DO Portimão e DO Tavira: Tinto e Branco.

 

Referências importantes na região:

Informações técnicas: COMISSÃO VITIVINÍCOLA do ALGARVE ‑ Estrada Nacional 125, Bemparece, 8400‑429 Lagoa, Tel. 282341393, Site: www.vinhosdoalgarve.pt

Informações culturais do vinho da região: CONFRARIA DOS ENÓFILOS E GASTRÓNOMOS DO ALGARVE; Avenida 5 de Outubro, 8004‑000 Faro; contacto: Confraria dos Gastrónomos do Algarve, Rua Padre Evaristo do Rosário Guerreiro, 11, 8500 Portimão. Tlm. 960 064 967. Museus, Site: http://algarve.angloinfo.com/af/292/algarve‑museums‑and‑monuments.html

Instituições de ensino superior; investigação vitícola: Universidade do Algarve, Campus da Penha, 8005‑139 Faro; Tel: (351) 289800100;  Site: www.ualg.pt; Email:sfp@ualg.pt

Entidade certificadora: COMISSÃO VITIVINÍCOLA DO ALGARVE Tel.: 282 341 393 ‑ Estrada Nacional 125 ‑ Bemparece (Instalações do IVV); 8400‑429 LAGOA ‑ Fax: 282 341 396 ‑ E‑mail: cva.direccao@vinhosdoalgarve.pt,  Site: www.vinhosdoalgarve.pt

Informação sobre os produtores‑engarrafadores de vinho da região Lisboa: http://www.ivv.min‑agricultura.pt/np4/1736.html, → anuário 2011 (pagina 250); e ainda da própria região: Site: http://www.visitalgarve.pt/pressroom.file.php?fileID=32&file=guia_vinhos_09.pdf

Informações enoturismo: Turismo do Algarve, Av. 5 de Outubro, n.º 18
8000‑076 Faro – PORTUGAL, Tel.: 289 800 400, Fax: 289 800 489, E‑mail: turismodoalgarve@turismodoalgarve.pt; Site: www.turismodoalgarve.pt e www.visitalgarve.pt

 

Designação: IGP “Algarve” Vinho regional

Legislação:  Portaria n.º 364/2001, Decreto‑Lei n.º 212/2004, Portaria n.º 817/2006, Reg. (CE) 479/2008.

Castas:

Vinho Tinto: Alfrocheiro, Alicante Bouschet, Aragonez (Tinta Roriz), Baga, Bastardo, Cabernet Sauvignon, Caladoc, Castelão (Periquita), Cinsaut, Grand‑Noir, Grenache, Merlot, Monvedro, Moreto, Moscatel Galego Tinto, Negra Mole, Pau Ferro, Petit‑Verdot, Pexem, Pinot Noir, Syrah, Tinta‑Barroca, Tinta Caiada, Tinta Carvalha, Tinto‑Cão, Touriga Franca, Touriga Nacional, Trincadeira (Tinta Amarela).

Vinho branco: Alicante‑Branco, Antão‑Vaz, Arinto (Pedernã), Chardonnay, Crato Espanhol, Diagalves, Fernão Pires (Maria Gomes), Manteúdo, Malvasia Fina, Malvasia Rei, Moscatel Graúdo, Perrum, Rabo de Ovelha, Riesling, Sauvignon, Síria (Roupeiro), Tália, Tamarez, Terrantez, Trincadeira‑das‑Pratas, Verdelho e Viognier.

VINHO LICOROSO Branco: Síria ou Moscatel Graúdo.

 

Vinhos DOP VQPRD

Designação: DOP “Lagos”

Legislação: Decreto‑Lei n.º 299/90, Decreto‑Lei n.º 318/2003, Reg. (CE) 1493/99.

Castas:

VINHOS TINTOS: Castelão (Periquita), Negra Mole e Trincadeira (Tinta Amarela); Alicante Bouschet, Aragonez (Tinta Roriz), Bastardo, Cabernet Sauvignon, Monvedro e Touriga Nacional.

VINHOS BRANCOS: Arinto (Pedernã), Malvasia Fina e Síria (Roupeiro), Manteúdo, Moscatel Graúdo e Perrum.

 

Designação: DOP “Portimão”

Legislação: Decreto‑Lei n.º 299/90, Decreto‑Lei n.º 318/2003, Reg. (CE) 1493/99.

Castas:

VINHOS TINTOS: Castelão (Periquita), Negra Mole e Trincadeira (Tinta Amarela), no conjunto ou separadamente com um mínimo de 70% do encepamento; Alicante Bouschet, Aragonez (Tinta Roriz), Cabernet Sauvignon, Monvedro, Syrah e Touriga Nacional.

VINHOS BRANCOS: Arinto (Pedernã) e Síria (Roupeiro), Manteúdo, Moscatel Graúdo, Perrum e Rabo de Ovelha.

 

Designação: DOP “Lagoa”

Legislação: Decreto‑Lei n.º 299/90, Decreto‑Lei n.º 318/2003, Reg. (CE) 1493/99.

Castas:

VINHOS TINTOS: Negra Mole e Trincadeira (Tinta Amarela), Alicante Bouschet, Aragonez (Tinta Roriz), Cabernet Sauvignon, Castelão, (Periquita), Monvedro, Moreto, Syrah, Touriga Franca e Touriga Nacional

VINHOS BRANCOS: Arinto (Pedernã) e Síria (Roupeiro), Manteúdo, Moscatel Graúdo, Perrum, Rabo de Ovelha e Sauvignon.

 

Designação: DOP “Tavira”

Legislação: Decreto‑Lei n.º 299/90, Decreto‑Lei n.º 318/2003, Reg. (CE) 1493/99.

Castas:

VINHOS TINTOS: Castelão (Periquita), Negra Mole e Trincadeira (Tinta Amarela), Alicante Bouschet, Aragonez (Tinta Roriz), Cabernet Sauvignon, Syrah e Touriga Nacional

VINHOS BRANCOS: Arinto (Pedernã) e Síria (Roupeiro), Diagalves, Manteúdo, Moscatel Graúdo e Tamarez.

^