Tejo

Região vitivinícola: TEJO

A história da viticultura do Tejo foi comprovada por vestígios fenícios e romanos. Alvarás dos reis da 1.a dinastia documentam a sua existência desde a Reconquista. A exportação de vinho, no fim da primeira metade do século XIII, atingiu 30.000 pipas para Inglaterra. Nos tempos modernos, os concelhos de maior incidência vitivinícola (Almeirim, Alpiarça, Cartaxo, Chamusca, Coruche, Rio Maior, Salvaterra de Magos, Santarém e Almeirim) aumentaram de população drasticamente, devido à viticultura. As regiões produtoras de VQPRD foram criadas em 1989. Situada no Centro de Portugal, com uma vasta superfície agrícola utilizada, esta região vitivinícola, embora agregada em termos globais na então designada região do Ribatejo‑Oeste, sempre teve especificidades próprias. A alteração da designação Ribatejo para Tejo ocorreu em 2009/2010, solicitada consensualmente pelos operadores da região, pelo que actualmente e para além da IG Tejo, temos na região a DO Tejo que é constituída pelas seguintes 6 sub‑regiões: ALMEIRIM, CARTAXO, CHAMUSCA, CORUCHE, SANTARÉM e TOMAR.

A situação climática é sul‑mediterrânica temperada, com precipitação de 500‑600 mm/m2, limitada aos meses de Inverno e Primavera. O Verão é de temperaturas elevadas e noites moderadas a quentes. O Inverno regista temperaturas negativas. O principal acidente orográfico é a Serra de Aires e Candeeiros, delimitando o que podemos chamar de Médio Tejo e Lezíria do Tejo. A região tem três zonas distintas de produção: o “CAMPO”, o “BAIRRO” e a “CHARNECA”. Os solos de agricultura intensa, inclusive da viticultura, com elevada produtividade encontram‑se nas aluviões (CAMPO), com as suas extensas planícies adjacentes ao Rio Tejo, conhecidas também como LEZÍRIA DO TEJO. O BAIRRO, situado entre o Vale do Tejo e os contrafortes dos maciços de Porto de Mós, Candeeiros e Montejunto, possui solos argilo‑calcários em ondulações suaves. A CHARNECA, localizada a sul do CAMPO, na margem esquerda do Rio Tejo, com solos arenosos e medianamente férteis, apresenta rendimentos abaixo da média da região.

Na Região do Tejo existem actualmente cerca de 19.000 hectares plantados de vinha, com predominância das castas brancas, correspondendo no seu global a cerca de 10% da produção nacional de vinho e em que o peso dos vinhos certificados (DOC e Regional) tem vindo a crescer, destinando‑se em cerca de 30% a ser exportados.

A Comissão Vitivinícola Regional do Tejo, com a sigla CVRT foi oficialmente designada como entidade certificadora para exercer funções de controlo da produção e comércio e de certificação dos produtos vitivinícolas com direito à denominação de origem (DO) Tejo e à indicação geográfica (IG) Tejo.

 

Tipos de produtos vitivinícolas:

Vinho IG ou regional Tejo: Tinto, Branco, Rosado, Frisante e Vinho Leve.

Vinhos DO Tejo (podendo utilizar a designação das sub‑regiões): Almeirim, Cartaxo, Chamusca, Coruche, Santarém, Tomar: Tinto, Rosado, Branco.

Vinhos Espumantes DO Tejo

Vinhos Licorosos DO Tejo

Aguardente de Vinho

Vinagre de Vinho

 

Referências importantes na região:

Informações técnicas: COMISSÃO VITIVINÍCOLA REGIONAL DO TEJO, S. Pedro ‑ Apartado 393, 2001‑905 SANTARÉM ‑ Tel.: 243 309 400, Fax: 243 309 409.

Informações culturais do vinho da região: Confraria Enófila Nossa Senhora do Tejo, Museu Rural e do Vinho do concelho de Cartaxo, Avenida 25 de Abril, Quinta das Pratas, 2070‑000 Cartaxo; Site www.cm‑cartaxo.pt

Instituições de ensino superior; investigação vitícola: Escola Superior Agrária de Santarém (ESAS), Quinta do Galinheiro – S. Pedro – Apartado 310, 2001‑904 Santarém; www‑esa.ipsantarem.pt

Entidade certificadora: COMISSÃO VITIVINÍCOLA REGIONAL DO TEJO, S. Pedro ‑ Apartado 393, 2001‑905 SANTARÉM ‑ Tel.: 243 309 400, Fax: 243 309 409;   Site: www.cvrtejo.pt, E‑mail: geral@cvrtejo.pt

Informações de enoturismo: Rota da Vinha e do Vinho do Tejo, Apartado 393, 2001‑905 Santarém. Câmara – Casa do Campino – 2000‑014 Santarém; Tel.: 243 309 403, http://www.rotavinhoribatejo.pt; E‑mail: info@rotavinhoribatejo.pt

 

Informação sobre os produtores‑engarrafadores de vinho da região Lisboa: http://www.ivv.min‑agricultura.pt/np4/1736.html, → anuário 2011 (p.214‑216) www.viniportugal.pt/index.php?option=com_content&task.→ adegas

 

Designação: IGP “Tejo, Vinho regional

Legislação: Portaria n.º 445/2009, Decreto‑Lei n.º 212/2004, Reg. (CE) n.º 1234/(alterações Reg. (CE) n.º 491/2009). Aviso n.º 9005/2009, de 27 de Abril.

Castas:

TINTAS:  Alfrocheiro, Alicante Bouschet, Amostrinha, Aragonez (Tinta Roriz), Baga, Bastardo, Bonvedro, Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon, Cabinda, Caladoc, Camarate, Carignan, Castelão (Periquita1), Cinsaut, Fernão‑Pires Rosado (R), Gewurztraminer (R), Grand Noir, Grenache, Grossa, Jaen, Merlot, Molar, Monvedro, Moreto,  Negra‑Mole, Parreira‑Matias, Petit Verdot, Pinot Gris (R), Pinot Noir, Preto Cardana, Preto Martinho, Ramisco, Rufete, Sousão, Syrah, Tannat, Tinta Barroca, Tinta Caiada, Tinta Carvalha, Tinta Miúda, Tinta Pomar, Tintinha, Tinto‑Cão, Touriga Franca, Touriga Nacional, Trincadeira (Tinta Amarela) e Valbom.

BRANCAS: Alicante Branco, Alvadurão, Alvarinho, Arinto (Pedernã), Bical, Cercial, Chardonnay, Chenin, Diagalves, Encruzado, Fernão Pires (Maria Gomes), Fernão Pires Rosado, Galego Dourado, Jampal, Loureiro, Malvasia Fina, Malvasia Rei, Marquinhas, Moscatel Graúdo, Pinot Blanc, Rabo de Ovelha, Ratinho, Riesling, Sauvignon, Seara Nova, Semillon, Sercial (Esgana Cão), Síria (Roupeiro), Tália, Tamarez, Trincadeira Branca, Trincadeira das Pratas, Verdelho, Viognier e Vital.

 

Designação: DO “DoTejo”

Em todas as SUB‑REGIÕES “Almeirim”, “Cartaxo”, “Chamusca”, “Coruche”, “Santarém”,”Tomar” são autorizadas as mesmas castas em todas as designações.

Legislação: Portaria n.º 140/2010, Decreto‑lei n.º 212/2004, Reg. (CE) n.º 1234/2007, alterações Reg. (CE) n.º 491/2009. DO ‑ Aviso n.º 9005/2009, de 27 de Abril.

Castas:

VINHOS Tintos: Alfrocheiro, Alicante Bouschet, Amostrinha, Aragonez (Tinta Roriz), Baga, Bastardo, Bonvedro, Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon, Cabinda, Caladoc, Camarate, Carignan, Castelão (Periquita), Cinsaut, Fernão‑Pires Rosado (R), Gewurztraminer (R), Grand Noir, Grenache, Grossa, Jaen, Merlot, Molar, Monvedro, Moreto,  Negra‑Mole, Parreira‑Matias, Petit Verdot, Pinot Gris (R), Pinot Noir, Preto Cardana, Preto Martinho, Ramisco, Rufete, Sousão, Syrah, Tannat, Tinta Barroca, Tinta Caiada, Tinta Carvalha, Tinta Miúda, Tinta Pomar, Tintinha, Tinto‑Cão, Touriga Franca, Touriga Nacional, Trincadeira (Tinta Amarela) e Valbom.

VINHOS BRANCOS: Alicante Branco, Alvadurão, Alvarinho, Arinto (Pedernã), Bical, Cercial, Chardonnay, Chenin, Diagalves, Encruzado, Fernão Pires (Maria Gomes), Fernão Pires Rosado, Galego Dourado, Jampal, Loureiro, Malvasia Fina, Malvasia Rei, Marquinhas, Moscatel Graúdo, Pinot Blanc, Rabo de Ovelha, Ratinho, Riesling, Sauvignon, Seara Nova, Semillon, Sercial (Esgana Cão), Síria (Roupeiro), Tália, Tamarez, Trincadeira Branca, Trincadeira das Pratas, Verdelho, Viognier e Vital.

^