Minho

Região vitivinícola: Vinho Verde (MINHO)

Na região dos Vinhos Verdes há referências à viticultura desde os Romanos. No início dos tempos modernos, destacaram‑se as sub‑regiões de Basto, Ribeira do Tâmega, Monção e Ribeira Lima. Das duas últimas partiram as primeiras exportações destes vinhos para Inglaterra, a partir do porto de Viana, no início do séc. XVI. Em 1908, iniciou‑se a demarcação de diversas regiões vitivinícolas. O grande avanço qualitativo ocorreu no ano de 1926, com o estabelecimento do regulamento da produção e comércio do «Vinho Verde» e a criação da «Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes», em cuja associação/entidade, sob a responsabilidade do Eng.º J. Amândio Galhano, foi investigada a escolha das melhores variedades regionais adaptadas ao seu terroir específico, tendo sido aplicada com sucesso em meados do último século.

Esta região estende‑se por todo o Nordeste do País, na zona tradicionalmente conhecida por Entre‑Douro‑e‑Minho, a sul da Galiza espanhola. A Este e a Sul, zonas montanhosas constituem uma barreira natural, sendo o oceano Atlântico o seu limite a Poente. Esta situação condiciona um clima muito específico e diferente do restante no País, ventoso, de elevada precipitação e baixa insolação. As vinhas ocupam mais de 30 mil hectares, correspondendo a 12 % da área vitícola nacional. Existem mais de 1.500 marcas de Vinho Verde, de acordo com a Comissão de Viticultura dos Vinhos Verdes.

Quanto ao tipo de solos, o anuário IVV 2010 refere: “… a maior parte desta região assenta em formações graníticas, constituindo excepções duas estreitas faixas que a atravessam no sentido NW‑SE, uma do silúrico, onde aparecem formações carboníferas e de lousa, outra de xistos do arcaico. Apresentam uma textura arenosa e franco‑arenosa, pouca profundidade, acidez elevada e são pobres em fósforo e ricas em potássio”.

A agricultura dos três “andares”, em sinergia com distintas culturas, condiciona características únicas nas formas de condução. Enquanto no Sul do País, historicamente, as monoculturas condicionavam a vinha com plantas crescendo no chão (Colares) ou sem suporte (gobelet) e muita baixa condução (Alentejo), no Vinho Verde desenvolvia‑se frequentemente a uma altura considerável, com drástica redução da graduação alcoólica. A vinha plantava‑se em bordadura de campos de milho ou outras culturas anuais, com armação em pérgulas, ramadas, bardo, a uma altura de até sete metros no caso de tutores vivos constituídos por árvores (castanheiro, choupo ou plátano).

A condução moderna, possibilitando já a mecanização dos trabalhos, baseia‑se em várias modalidades de cordão ou de cruzeta, para manter a sua tipicidade. Com a modernização da condução da vinha, o Vinho Verde aumentou ligeiramente a graduação alcoólica, intensificando os aromas nos vinhos brancos e dando características mais apreciadas internacionalmente aos vinhos tintos.

As seguintes nove sub‑regiões para os produtos abrangidos pelos Estatutos da Região Demarcada podem ser utilizadas em complemento da Denominação de Origem: “Amarante”, “Ave”, “Baião”, “Basto”, “Cávado”, “Lima”, “Monção”, “Paiva” e “Sousa”.

 

Tipos de produtos vitivinícolas:
Vinho IG ou regional Minho: Tinto, Branco, Rosado, Espumante.
Vinhos DO Vinho Verde (+ designações regionais adicionais): Tinto, Branco, Rosado, Espumante.
Vinhos Espumantes DO Vinho Verde
Aguardente de Vinho da Região dos Vinhos Verdes
Aguardente Bagaceira da Região dos Vinhos Verdes
Vinagre de Vinho Verde

 

Referências importantes na região:

Informações técnicas: Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, Rua da Restauração 318, 4050‑Porto (www.vinhoverde.pt)

Informações culturais do vinho da região: Confraria do Vinho Verde, secretaria@confrariadovinhoverde.com; várias regiões têm intenções de criar museu vitícola.

Instituições de ensino superior: Universidade do Minho, Largo do Paço, 4704‑553 Braga, www.uminho.pt. Escola Superior Agrária de Ponte de Lima; www.esa.ipvc.pt

Entidade certificadora: Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, Rua da Restauração, 318, 4050‑501 PORTO, Tel. 00351 226077300; Email: info@vinhosverde.pt

Informações de enoturismo: Rota dos Vinhos Verdes, Tel. 226077300; Porto (rota.vinhoverde.pt)

Informação sobre os produtores‑engarrafadores de vinho da Região do Vinho Verde: http://www.ivv.min‑agricultura.pt/np4/1736.html, → anuário 2011, página 99 ‑ 111. rota.vinhoverde.pt e ainda CVRVV: www.vinhoverde.pt.

 

Designação: IGP “Minho” (vinho regional)

Legislação: Portaria n.º 112/93, Portaria n.º 1202/97, Portaria n.º 394/2001, Reg. (CE) 1493/99, Decreto‑Lei n.º 212/2004, de 23 de Agosto.

As castas:

VINHOS  TINTOS: Alfrocheiro, Alicante Bouschet, Alvarelhão, Amaral, Aragonez (Tinta Roriz), Baga, Borraçal, Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon, Castelão (Periquita), Doçal, Doce, Espadeiro, Espadeiro Mole, Grand Noir, Jaen, Labrusco, Merlot, Mourisco, Padeiro, Pedral, Pical, Pinot Noir, Rabo de Anho, Sousão, Syrah, Tinta Barroca, Touriga Nacional, Trincadeira (Tinta Amarela), Verdelho, Tinto, Verdial Tinto e Vinhão.

VINHOS BRANCOS: Alvarinho, Arinto (Pedernã), Avesso, Azal, Batoca, Caínho, Cascal, Chardonnay, Chenin, Colombard, Diagalves, Esganinho, Esganoso, Fernão Pires (Maria Gomes), Folgasão, Godelho, Lameiro, Loureiro, Malvasia Fina, Malvasia Rei, Müller‑Thurgau, Pinot Blanc, Pintosa, Rabo de Ovelha, Riesling, São Mamede, Semilão, Sercial (Esgana Cão), Tália, Trajadura e Viosinho.

 

Designação: DOP “Vinho Verde”

Legislação: Portaria n.º 668/2010, Decreto‑Lei n.º 212/2004, Reg. (CE) n.º 1234/2007 (alterações Reg. (CE) n.º 491/2009).

VINHOS TINTOS: Alvarelhão, Amaral, Borraçal, Espadeiro, Padeiro, Pedral, Rabo de Anho e Vinhão.

Sub‑Regiões:

Amarante: Amaral, Borraçal, Espadeiro e Vinhão.

Ave: Amaral, Borraçal, Espadeiro, Padeiro e Vinhão.

Baião: Alvarelhão, Amaral, Borraçal e Vinhão.

Basto: Amaral, Borraçal, Espadeiro, Padeiro, Rabo de Anho e Vinhão.

Cávado: Amaral, Borraçal, Espadeiro, Padeiro e Vinhão.

Lima: Borraçal, Espadeiro e Vinhão.

Monção: Alvarelhão, Borraçal, Pedral e Vinhão.

Paiva: Amaral, Borraçal e Vinhão.

Sousa: Amaral, Borraçal, Espadeiro e Vinhão.

VINHOS BRANCOS: Alvarinho, Arinto (Pedernã), Avesso, Azal, Batoca, Loureiro e Trajadura.

Sub‑Regiões:

Amarante: Arinto (Pedernã), Avesso, Azal e Trajadura.

Ave: Arinto (Pedernã), Loureiro e Trajadura.

Baião: Arinto (Pedernã), Avesso e Azal.

Basto: Arinto (Pedernã), Azal, Batoca e Trajadura.

Cávado: Arinto (Pedernã), Loureiro e Trajadura.

Lima:  Arinto (Pedernã), Loureiro e Trajadura.

Monção:  Alvarinho, Loureiro e Trajadura.

Paiva:  Arinto (Pedernã), Avesso, Loureiro e Trajadura.

Sousa:  Arinto (Pedernã), Avesso, Azal, Loureiro e Trajadura.

 

^