Terras da Beira

Região vitivinícola: TERRAS DA BEIRA

No interior da região actualmente delimitada com a designação Terras da Beira está inserida a  DO BEIRA INTERIOR e estas áreas faziam parte de uma região vitivinícola bastante mais extensa, então designada como IG BEIRAS. Foi a sede do povo Lusitano, onde o seu rei Viriato foi assassinado em 139 a. C. pelos Romanos que depois tomaram posse desta terra. Cerca de 600 anos depois, surgiram os Visigodos, últimos dois povos com grande ligação à viticultura. Os monges de Cister, a partir do séc. XII, revitalizaram a viticultura após a Reconquista. Os árabes muçulmanos dedicaram‑se menos a esta cultura. Situada no coração do interior Norte, perto da fronteira com Espanha, na região mais escarpada e montanhosa de Portugal Continental, abarca no seu interior a Serra da Marofa, a Serra da Gardunha e parte da Serra da Estrela.

No que respeita à DO Beira Interior, as suas sub‑regiões de Castelo Rodrigo, Pinhel e Cova da Beira sempre se notabilizaram por vinhos de elevado valor enológico, expresso num aroma mais rico e distinto das outras regiões. A elevada altitude das vinhas, acima de 400 até 700 m, num total de 16.000 hectares, lembra a situação do país vizinho com as grandes regiões vitivinícolas de Castela. Noites frescas no Verão, e mesmo frias na fase da vindima e da fermentação, já antes da introdução das novas tecnologias de fermentação controlada permitiam a produção de vinhos maduros frescos e aromáticos. O vinho rosado, na época das grandes exportações deste tipo de vinho, em meados do séc. XX, especialmente para os EUA e o norte de Europa, sempre foi considerado o melhor e trouxe alguma prosperidade a esta região.

Encontram‑se informações edafo‑climáticas detalhadas no site da COMISSÃO VITIVINÍCOLA REGIONAL DA BEIRA INTERIOR, com a sigla CVRBI, entidade que foi oficialmente designada para certificar os produtos da região com DO e IG. O clima sofre uma influência continental extrema, com impressionantes variações quotidianas de temperatura. Os verões são curtos mas muito quentes e secos, os invernos prolongados e gélidos. Os solos são maioritariamente graníticos, com alguma presença de xistos e, embora menos comum, alguma componente arenosa. As três sub‑regiões partilham sensivelmente as mesmas especificidades materiais, apesar de se encontrarem separadas por cadeias montanhosas com picos de mais de mil metros de altitude, onde a combinação de solos pobres, acidez elevada e maturações robustas garante um futuro promissor para toda a região. A Cova da Beira apresenta características divergentes e alternativas, espraiando‑se desde os contrafortes orientais da Serra da Estrela até ao vale do Tejo, a sul de Castelo Branco. As adegas cooperativas produzem grande parte do vinho da região, apesar de, cada vez mais, surgirem no mercado vinhos de pequenos e médios produtores.

Tipos de produtos vitivinícolas

Vinho IG ou regional Terras da Beira: Tinto, Branco, Rosado, Espumante, Frisante.

Vinhos DO Beira Interior: Tinto, Tinto “Palhete”, Tinto “Selecção”, Branco, Branco “Selecção”, Rosado.

Vinhos Espumantes DO Beira Interior: Tinto, Branco e Rosado.

 

Referências importantes na região:

Informações técnicas: COMISSÃO VITIVINÍCOLA REGIONAL DA BEIRA INTERIOR, Av. Cidade de Safed, Lt. 7 ‑ 1.º, 6300‑537 GUARDA, Tel.: 271 224 129 ‑ Fax: 271 223 101; E‑mail: geral@cvrbi.pt, site: www.cvrbi.pt

Informações culturais do vinho da região: Sala Museu do Vinho, 6200‑165 Covilhã – Quinta das Poldras.

Instituições de ensino superior: Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco. Quinta da Senhora de Mércules, 6000 Castelo Branco, Tel. 272 339 900, site: www.ipcb.pt

Entidade certificadora: COMISSÃO VITIVINÍCOLA REGIONAL DA BEIRA INTERIOR, Av. Cidade de Safed ‑ Lote 7 ‑ 1.º, 6300‑537 GUARDA, Tel.: 271 224 129, Fax: 271 223 101, site: www.cvrbi.pt,  E‑mail: cvrbi@cvrbi.artelecom.pt

Informações de enoturismo: Rota dos Vinhos da Beira Interior, Rua Cidade de Safed, lote 7 – 1º, 6300‑537 Guarda, Tel 271224129, site: www.cvrbi.pt.

Informação sobre os produtores‑engarrafadores de Vinho das Terras da Beira: http://www.ivv.min‑agricultura.pt/np4/1736.html, → anuário 2011 página 182.

 

Designação: IGP “Terras da Beira”

Legislação: Portaria n.º 163/2011, de 18 de Abril, Decreto‑Lei n.º 212/2004, de 23 de Agosto e Reg. (CE) n.º 1234/2007 do Conselho, de 22 de Outubro, com as alterações introduzidas pelo Reg. (CE) n.º 491/2009, do Conselho de 25 de Maio.

As castas

TINTAS: Água Santa, Alfrocheiro, Alicante Bouschet, Alvarelhão, Aragonez (Tinta Roriz), Azal, Baga, Bastardo, Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon, Camarate, Campanário, Castelão, Cidreiro, Coração de Galo, Cornifesto, Grand Noir, Jaen, Malvasia Preta, Marufo, Merlot, Monvedro, Moreto, Pilongo, Pinot Noir, Português Azul, Rabo de Ovelha Tinto, Rufete, Sirah, Tinta Carvalha, Tinta Francisca, Tintem, Tinto Cão, Touriga Fêmea, Touriga Franca, Touriga Nacional, Trincadeira, (Tinta Amarela), Alvar Roxo, Folgazão Roxo, Gewurztraminer e Malvasia Fina Roxa.

BRANCAS: Alicante Branco, Alvar, Arinto (Pedernã), Arinto do Interior, Assaraky, Barcelo, Bical, Cercial, Chardonnay, Dona Branca, Encruzado, Fernão Pires (Maria Gomes), Folgasão, Folha de Figueira, Fonte Cal, Gouveio, Jampal, Loureiro, Luzidio, Malvasia Fina, Malvasia Rei, Pinot Blanc, Rabo de Ovelha, Riesling, Sauvignon, Semillon, Sercial (Esgana Cão), Sercialinho, Síria (Roupeiro), Tália, Tamarez, Terrantez, Uva Cão, Verdelho, Verdial Branco e Vital.

 

Designação: DOP Beira interior

Legislação: Decreto‑Lei n.º 212/2004, de 23 de Agosto, Decreto‑Lei n.º 165/2005, de 11 de Fevereiro e Reg. (CE) 1493/99, de 17 de Maio.

Sub‑regiões da DOP Beira Interior: Pinhel, Castelo Rodrigo e Cova da Beira.

Castas:

TINTAS: Aragonez (Tinta Roriz)**, Bastardo**, Rufete**, Touriga Nacional** e Trincadeira (Tinta Amarela)**, no conjunto ou separadamente com um mínimo de 80% do encepamento, Alfrocheiro, Alicante Bouchet, Baga, Cabernet Sauvignon, Caladoc, Camarate, Castelão (Periquita), Grand Noir, Jaen, Marufo, Merlot, Mourisco, Petit Bouschet, Petit Verdot, Pinot Noir, Rabo de Ovelha Tinto, Syrah, Tinta Barroca, Tinta Carvalha, Tinto Cão e Touriga Franca.

BRANCAS: Arinto**, Bical**, Malvasia Fina**, Síria (Roupeiro)** e Tamarez**, no conjunto ou separadamente com um mínimo de 80% do encepamento, Alicante Branco, Arinto do Interior, Cercial, Chardonnay, Encruzado, Fernão Pires, Folgasão, Folha de Figueira, Fonte Cal, Gouveio, Malvasia Rei, Riesling, Sauvignon e Semillon.

(** Castas a utilizar na elaboração dos VQPRD Branco e Tinto “Selecção”)

^