Transmontano

Região Vitivinícola: TRANSMONTANO

Não foi estudada a presença pré‑histórica (neolítica) da Vitis silvestris com eventual aproveitamento humano; mas foi comprovado o cultivo da vinha e da produção de vinho na região de Trás‑os‑Montes, durante a ocupação dos Romanos. Devido à fraca densidade de população, a viticultura desta região foi basicamente orientada para consumo próprio do agricultor, quando muito para abastecimento regional. Com a melhoria das vias comerciais, o turismo e estudos científicos, foi‑se reconhecendo, cada vez mais, que os vinhos da Região de Trás‑os‑Montes são bastante diferenciados, em função do terroir em que foram produzidos, alguns de excelente, mesmo extraordinária, qualidade. A investigação e formação profissional foram asseguradas pela Universidade de Trás‑os‑Montes e Alto‑Douro.

Entretanto, em 1989 foi criada e delimitada uma região própria, tendo sido atribuída à Comissão Vitivinícola Regional de Trás‑os‑Montes, identificada também pela sigla CVRTM, a responsabilidade pela certificação dos produtos vitivinícolas com direito à denominação de origem (DO) ‘Trás‑os‑Montes’ e pela indicação geográfica (IG) ‘Transmontano’; esta entidade encontra‑se desde 2010 designada oficialmente como Entidade Certificadora.

O nome Trás‑os‑Montes refere‑se à localização desta vasta região: situa‑se para lá das serras do Marão e Alvão, a norte do rio Douro, a oriente do Minho, até à fronteira espanhola com a qual também confina, a Norte. Os solos variam muito entre as sub‑regiões. Começam no Oeste (Chaves) com solos predominantemente graníticos alcalinos, misturados com xisto metamórfico, e complexos de granito com xisto, nalgumas zonas com alguma radioatividade. O granito é, do ponto de vista morfológico, uma rocha desconcertante, tanto dura como de textura friável, tanto de grão fino como grosseiro. Encontra‑se acompanhado por xistos pré‑câmbricos e arcaicos, existindo, numa pequena área, manchas calcárias de gneisses e de aluvião. Os solos da veiga de Chaves são muito férteis, classificados como de 1.ª classe. A vinha é aqui plantada nas encostas de pequenos vales, onde correm os afluentes do rio Tâmega. As vinhas tradicionais ocupavam essencialmente os terrenos das arribas e foram plantadas em curvas de nível. Os trabalhos eram realizados pelo agricultor, com recurso à tracção animal, quase sempre de burros.

O clima de Trás‑os‑Montes é seco e muito quente no Verão. No Inverno, pelo contrário, as temperaturas atingem muitas vezes valores negativos, condicionando as necessidades térmicas e a quantidade de água disponível. Apenas a sub‑região de Valpaços é mais rica em recursos hídricos, situando‑se numa zona de planalto. No Planalto Mirandês, é o rio Douro que influencia a viticultura. Os vinhos tintos desta região são geralmente frutados e levemente adstringentes. Os vinhos brancos são suaves e com aroma floral.

Toda a área de Trás‑os‑Montes, a Norte da área delimitada da indicação geográfica duriense, foi delimitada como IGP, geralmente designado como vinho regional Transmontano; por sua vez, Trás‑os‑Montes apresenta três sub‑regiões classificadas com aptidão para produção de alta qualidade (DO): “Chaves”, ”Valpaços” e “Planalto Mirandês”.

 

Tipos de produtos vitivinícolas

Vinho IG ou regional Transmontano: Tinto, Branco e Rosado.

Vinhos DO Trás‑os‑Montes: Vinho Tinto, Branco, Rosado, Espumante.

Vinhos Espumantes DO Trás‑os‑Montes

Vinhos Licorosos DO Trás‑os‑Montes

Aguardente de Vinho

Aguardente Bagaceira

 

Referências importantes na região:

Informações técnicas: COMISSÃO VITIVINÍCOLA REGIONAL DE TRÁS‑OS‑MONTES, Bairro do Bonito ‑ Edifício IVV, 5430‑429 VALPAÇOS, Tel.: 278 729 678, Fax: 278 729 678, site: www.cvrtm.pt, E‑mail: cvrtm@sapo.pt

Informações de enoturismo: Rota dos Vinhos do Porto, Largo da Estação, 5050‑237 Peso da Régua, Tel. 254324774, reservas@rvp.pt. Turismo em Trás‑os‑Montes, Rua 25 de Abril ‑ Edf. Alexandre D’arcos, 5210 Miranda do Douro ‑ Bragança; geral@webdouro.com; Tel. +351 302 099 933.

Informações culturais do vinho da região: Confraria Enófila e Gastronómica de Trás‑os‑Montes e Alto Douro, Rua Conselheiro Abílio Beça 150, 5370‑324 Mirandela.

Instituições de ensino superior: Universidade de Trás‑os‑Montes e Alto Douro UTAD, Quinta dos Prados, 5000‑262 Vila Real, tel. 259350000, www.utad.pt. Escola Superior Agrária de Bragança, Campus de Santa Apolónia ‑ Apartado 1172, 5301‑855 Bragança; Telefone: (+351) 273 303 200 esa.ipb.pt.

Responsável pela certificação: COMISSÃO VITIVINÍCOLA REGIONAL DE TRÁS‑OS‑MONTES, Bairro do Bonito ‑ Edifício IVV, 5430‑429 VALPAÇOS, Tel.: 278 729 678, Fax: 278 729 678, site: www.cvrtm.pt, E‑mail: cvrtm@sapo.pt

Informação sobre os produtores engarrafadores de vinho da Região Trás‑os‑Montes: www.ivv.min‑agricultura.pt/np4/1736.html, → anuário 2011, página 118.

 

Designação: IGP “Transmontano” (Vinho regional)

Legislação: Decreto‑lei n.º 212/2004, de 23 de Agosto; Portaria n.º 1203/2006.

As castas:

VINHOS TINTOS: Alicante Bouschet, Alvarelhão, Aragonez (Tinta Roriz), Aramon, Bastardo, Cabernet Sauvignon, Camarate, Carignan, Cornifesto, Donzelinho Tinto, Donzelinho Roxo, Gamay, Grand Noir, Jaen, Malvasia Preta, Marufo, Merlot, Moscatel Galego Tinto, Moscatel Galego Roxo (Moscatel Roxo), Mourisco de Semente, Mourisco de Trevões, Castelão, Pinot Noir, Rufete, Barca, Tinta Barroca, Tinta Carvalha, Tinta Francisca, Gorda, Tinto Cão, Touriga Fêmea, Touriga Nacional, Touriga Franca, Trincadeira (Tinta Amarela) e Vinhão.

VINHOS BRANCOS: Dorinto, Ratinho, Arinto (Pedernã), Chardonnay, Branda, Donzelinho Branco, Sercial (Esgana Cão), Fernão Pires (Maria Gomes), Folgasão, Gewurztraminer, Gouveio, Malvasia Fina, Malvasia Parda, Malvasia Rei, Moscadet, Moscatel Galego Branco, Mourisco Branco, Pinheira Branca, Pinot Blanc, Rabigato, Riesling, Sauvignon, Semillon, Síria (Roupeiro), Tamarez, Verdelho, Viosinho e Vital.

 

Designação: DOP Trás‑os‑Montes

Legislação: Decreto‑Lei n.º 212/2004, de 23 de Agosto, Portaria n.º 1204/2006.

As castas:

VINHOS TINTOS: Alicante Bouschet, Aragonez (Tinta Roriz), Baga, Bastardo, Castelão (Periquita), Cornifesto, Gorda, Malvasia Preta, Marufo, Rufete, Sousão, Tinta Barroca, Tinta Carvalha, Tinto Cão, Touriga Franca, Touriga Nacional, Trincadeira (Tinta Amarela) e Moscatel Galego Roxo (Moscatel Roxo).

VINHOS BRANCOS: Bical, Boal Branco, Carrega Branco, Côdega de Larinho, Donzelinho Branco, Fernão Pires (Maria Gomes), Gouveio, Malvasia Fina, Moscatel Galego Branco, Rabigato, Samarinho, Síria (Roupeiro) e Viosinho.

 

Vinhos DOP Trás‑os‑Montes

Designação: DOP (SUB‑REGIÃO) “Chaves”.

VINHOS TINTOS: Alicante Bouschet, Aragonez (Tinta Roriz), Baga, Bastardo, Castelão (Periquita), Cornifesto, Malvasia Preta, Marufo, Tinta Barroca, Tinta Carvalha, Tinto Cão, Touriga Franca, Touriga Nacional, Trincadeira (Tinta Amarela) e Moscatel Galego Roxo (Moscatel Roxo).

VINHOS BRANCAS: Alvarinho, Arinto (Pedernã), Bical, Boal Branco, Côdega de Larinho, Fernão Pires (Maria Gomes), Gouveio, Malvasia Fina, Moscatel Galego Branco, Rabigato, Síria (Roupeiro) e Viosinho.

Designação: DOP (SUB‑REGIÃO) “Planalto Mirandês“.

VINHOS TINTOS: Alicante Bouschet, Aragonez (Tinta Roriz), Bastardo, Castelão (Periquita), Cornifesto, Gorda, Marufo, Rufete, Tinta Barroca, Touriga Franca, Touriga Nacional e Trincadeira (Tinta Amarela).

VINHOS BRANCOS: Bical, Boal Branco, Carrega Branco, Côdega de Larinho, Donzelinho Branco, Fernão Pires (Maria Gomes), Gouveio,  Malvasia Fina, Moscatel Galego Branco, Rabigato, Samarinho, Síria (Roupeiro) e  Viosinho.

Designação: DOP (SUB‑REGIÃO) “Valpaços”.

VINHOS TINTOS: Aragonez (Tinta Roriz), Bastardo, Cornifesto, Marufo, Tinta Barroca, Tinta Carvalha, Tinto Cão, Touriga Franca, Touriga Nacional e Trincadeira (Tinta Amarela).

VINHOS BRANCOS:  Arinto (Pedernã), Bical, Boal Branco, Côdega de Larinho, Donzelinho Branco, Fernão Pires (Maria Gomes), Gouveio,  Malvasia Fina, Moscatel Galego Branco, Rabigato, Síria (Roupeiro) e Viosinho.

^