Lisboa

Região vitivinícola: LISBOA

A criação da região vitivinícola de Lisboa é o resultado da concertação conseguida entre as vontades da produção e comércio das diversas regiões, todas elas com grande história no passado, na sequência da reorganização institucional do sector vitivinícola e que levou à constituição, em 2008, da COMISSÃO VITIVINÍCOLA DA REGIÃO DE LISBOA, também identificada pela sigla CVRLx.

Desde a Antiguidade que havia vinha em volta de Lisboa. Há vestígios fenícios, gregos, romanos e visigóticos. Na Idade Média, a partir do séc. XII, estabeleceram‑se diversas ordens religiosas, com particular destaque para a Ordem de Cister, em Alcobaça, onde os seguidores de S. Bernardo se dedicaram à viticultura. Além do objectivo litúrgico, a ordem deu trabalho e formação profissional aos cidadãos cristãos.

Os vinhos da então chamada “Estremadura” foram objecto de grande consumo e prestígio, tornando‑se num dos produtos de maior peso na actividade económica da região, identificada como uma das maiores regiões vitivinícolas do país, em área de vinha e de produção de vinho. O relevo não é muito elevado, excepto a sul, onde aparecem alguns estratos de basalto e de granito, assentando a região, na sua quase totalidade, em formações secundárias argilo‑calcárias e argilo‑arenosas. O clima é temperado, sem grandes amplitudes térmicas, com uma queda pluviométrica anual entre os 600‑700 mm.

Na zona Sul da região encontram‑se três Denominações de Origem cujas zonas vitícolas são conhecidas pela sua tradição e prestígio: Bucelas, Carcavelos e Colares. A norte de Lisboa encontra‑se a região de “Bucelas”, onde as vinhas se instalam em solos que correspondem às tradicionais “caeiras”, predominantemente derivados de margas e calcários duros. A casta de referência da região é o Arinto e esta é a única região exclusivamente delimitada para vinhos de qualidade brancos. A oeste de Lisboa situa‑se a zona de produção do DOC “Carcavelos”. Este extraordinário vinho generoso é conhecido desde longa data, apresentando‑se hoje em dia como uma raridade. Reclinada na serra de Sintra, situa‑se a região de “Colares”; pela sua natureza geológica, divide‑se em duas subzonas: “chão de areia” (região das dunas) e “chão rijo” (solos calcários, pardos, de margas ou afins). As características únicas do vinho são condicionadas pelo solo, pelo clima marítimo e pelas castas de referência: tinto Ramisco, branco Malvasia. A tradição é de “pé franco”, com a plantação efetuada em profundidade, abaixo da camada de areia.

Na parte central da área geográfica da região vitícola encontramos as Denominações de Origem “Alenquer”, “Arruda”, “Torres Vedras” e “Óbidos”. Junto ao mar é de referir uma zona produtora de vinhos particularmente vocacionados para a produção de aguardentes de qualidade, que mereceram o seu reconhecimento exclusivo para esse produto, a Denominação de Origem “Lourinhã”.

Mais a norte fica a Denominação de Origem “Encostas d’Aire”, com duas sub‑regiões: “Alcobaça” e “Ourém”. Para além dos vinhos IG ou regionais “Lisboa”, tintos, brancos, rosados, espumantes e licorosos, pode ainda ser produzido “Vinho Leve” com menor teor alcoólico e características muito próprias.

 

Tipos de produtos vitivinícolas

Vinho IG ou regional Lisboa (com as sub‑regiões Estremadura e Alta Estremadura): Tinto, Branco, Rosado, Espumante, Licoroso, Vinho Leve.

Vinhos DO Alenquer, DO Arruda, DO Colares e DO Torres Vedras, Tinto e Branco.

Vinhos DO Bucelas, Branco e Espumante; DO Carcavelos, Licoroso Tinto e Branco; DO Óbidos, Tinto, Branco, Rosado e Espumante; DO Encostas D’Aire Tinto, Branco, Rosado e “Medieval de Ourém”; DO Lourinhã, Aguardente Vínica.

 

Referências importantes na região:

Informações técnicas: COMISSÃO VITIVINÍCOLA DA REGIÃO DE LISBOA, Rua Cândido dos Reis, Apartado 145, 2564‑910 Torres Vedras. Tel. 261316724, Email Cvr.lisboa@mail.telepac.pt, Site: www.vinhosdaestremadura.pt

Informações culturais do vinho da região: Confraria dos Enófilos da Estremadura, Cintrão – Estrada Nacional n.º 8, Apartado 69, 2544‑909 Bombarral. Confraria do Arinto de Bucelas, Rua Vasco da Gama, n.º 32, 2670‑633 Loures; Confraria do Vinho de Carcavelos – C. M. Oeiras.

Instituições de ensino superior; investigação vitícola: Instituto Superior de Agronomia ‑ ISA, Tapada da Ajuda, 1349 ‑ 017 Lisboa; Site: www.isa.utl.pt. INRB‑L‑INIA DOIS PORTOS – Qt.ª da Almoínha, 2565‑191 Dois Portos.

Entidade certificadora: COMISSÃO VITIVINÍCOLA DA REGIÃO DE LISBOA, Rua Cândido dos Reis ‑ Apartado 145, 2560‑312 TORRES VEDRAS, Fax: 261 313 541, Tel.: 261 316 724. Site: www.vinhosdaestremadura.pt, E‑mail: cvr.lisboa@mail.telepac.pt

Informações de enoturismo: Rota da Vinha e do Vinho – Região de Turismo do Oeste, Rua Direita, 2510 Óbidos, Tel. 262955060; Site: www.rotavinhooeste.com

Os produtores de vinho: Informação sobre os produtores‑engarrafadores de Vinho da Região de Lisboa: http://www.ivv.min‑agricultura.pt/np4/1736.html, → Anuário 2011 (p. 200‑205)

 

Designações Oficiais: IGP “Lisboa” Vinho regional

Legislação: Portaria n.º 426/2009, Decreto‑Lei n.º 212/2004  e Reg. (CE) n.º 1234/2007 (alterações com Reg. (CE) n.º 491/2009).

VINHOS TINTOS: Alfrocheiro, Alicante Bouschet, Amostrinha, Aragonez (Tinta Roriz), Baga, Bastardo, Bonvedro, Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon, Caladoc, Camarate, Carignan, Castelão, Cinsaut, Grand Noir, Grenache, Grossa, Jaen, Merlot, Moreto, Negra Mole, Parreira Matias, Petit Verdot, Pinot Noir, Preto Martinho, Ramisco, Rufete, Syrah, Tinta Barroca, Tinta Caiada, Tinta Carvalha, Tinta Miúda, Tintinha, Tinto Cão, Touriga Franca, Touriga Nacional, Trincadeira (Tinta Amarela), Cabinda, Molar, Monvedro, Preto Cardana, Sousão, Tannat, Tinta Lisboa, Tinta Pomar, Valbom, Zinfandel, Fernão‑Pires Rosado (R), Gewurztraminer (R), e Pinot Gris (R).

VINHOS BRANCOS: Alicante Branco, Almafra, Alvarinho, Antão Vaz, Arinto (Pedernã), Bical, Boal Branco, Boal Espinho, Cerceal Branco, Chardonnay, Diagalves, Fernão Pires (Maria Gomes), Galego Dourado, Jampal, Malvasia, Malvasia Rei, Moscatel Graúdo, Rabo de Ovelha, Riesling, Sauvignon, Seara Nova, Sercial (Esgana Cão), Síria (Roupeiro), Tália, Tamarez, Trincadeira Branca, Trincadeira das Pratas, Viognier, Viosinho, Vital, Alvadurão, Cercial, Chenin, Encruzado, Loureiro, Malvasia‑Fina, Marquinhas, Pinot‑Blanc, Ratinho, Semillon e Verdelho.

 

DESIGNAÇÃO: DO (SUB‑REGIÃO) ALTA‑ESTREMADURA

VINHOS TINTOS:  Alfrocheiro, Alicante Bouschet, Amostrinha, Aragonez (Tinta Roriz), Baga, Bastardo, Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon, Caladoc, Camarate, Carignan, Castelão (Periquita), Cinsaut, Grand Noir, Grenache, Grossa, Jaen, Merlot, Moreto, Negra Mole, Pinot Noir, Rufete, Syrah, Tinta Carvalha, Tinta Miúda, Tintinha, Tinto Cão, Touriga Franca, Touriga Nacional, Trincadeira (Tinta Amarela), Parreira Matias, Petit Verdot, Sousão, Tinta‑Barroca, Tinta‑Caiada, Tinta Lisboa, Zinfandel e Gewurztraminer.

VINHOS BRANCOS: Alicante Branco, Almafra, Alvarinho, Antão Vaz, Arinto (Pedernã), Bical, Boal Branco, Boal Espinho, Cerceal Branco, Chardonnay, Diagalves, Fernão Pires (Maria Gomes), Galego Dourado, Jampal, Malvasia, Malvasia Rei, Moscatel Graúdo, Rabo de Ovelha, Riesling, Sauvignon, Seara Nova, Sercial (Esgana Cão), Síria (Roupeiro), Tália, Tamarez, Trincadeira Branca, Trincadeira das Pratas, Viognier, Viosinho, Vital, Alvadurão, Cercial, Chenin, Encruzado, Loureiro, Malvasia‑Fina, Marquinhas, Pinot‑Blanc, Ratinho, Semillon e Verdelho.

 

A região Lisboa abrange as seguintes designações DOP:

Designação: DO “Encostas d’Aire”

Legislação: Portaria n.º 167/2005, de 11 de Fevereiro e Reg. (CE) 1493/99.

Castas:

VINHOS TINTOS: Aragonez (Tinta Roriz), Baga, Castelão, Tinta Miúda, Touriga Nacional e Trincadeira (Tinta Amarela), no conjunto ou separadamente, com um mínimo de 65% do encepamento, Alicante Bouchet, Caladoc, Grand Noir e Syrah, Alfrocheiro, Amostrinha, Bastardo, Cabernet Sauvignon, Rufete e Touriga Franca.

VINHOS BRANCOS: Arinto (Pedernã), Fernão Pires (Maria Gomes), Ratinho, Seara Nova, Tamarez e Vital, no conjunto ou separadamente, com um mínimo de 65% do encepamento, Alicante Branco, Bical, Boal Branco, Cercial, Chardonnay, Diagalves, Jampal, Malvasia Fina, Rabo de Ovelha e Trincadeira Branca.

Abrange duas sub‑regiões.

 

(Sub‑Região) “Alcobaça”

Castas:

TINTAS: Aragonez (Tinta Roriz), Baga, Castelão, Tinta Miúda, Touriga Nacional, Alicante Bouschet, Syrah, Amostrinha, Rufete e Touriga Franca.

BRANCAS: Fernão Pires (Maria Gomes), Ratinho, Tamarez, Vital, Bical, Cercial, Chardonnay, Rabo de Ovelha e Trincadeira Branca.

 

(Sub‑Região) “Ourém”

Castas:

TINTAS: Trincadeira (Tinta Amarela)

BRANCAS: Fernão Pires (Maria Gomes)

 

Designação: “Óbidos” DO

Legislação: Decreto‑Lei n.º 212/2004, Portaria n.º 816/2006, Reg. (CE) 1493/9.

Castas:

VINHOS TINTOS: Alicante Bouschet, Amostrinha, Aragonez (Tinta Roriz), Baga, Cabernet Sauvignon, Caladoc, Camarate, Carignan, Castelão, Jaen, Merlot, Pinot Noir, Preto Martinho, Syrah, Tinta Barroca, Tinta Miúda, Touriga Franca, Touriga Nacional e Trincadeira (Tinta Amarela)

VINHOS BRANCOS: Alicante Branco, Alvarinho, Antão Vaz, Arinto (Pedernã), Chardonnay, Encruzado, Fernão Pires (Maria Gomes), Jampal, Loureiro, Malvasia Rei, Moscatel Graúdo, Rabo de Ovelha, Ratinho, Riesling, Sauvignon, Seara Nova, Verdelho, Viognier, Viosinho e Vital.

 

Designação: DOP “Alenquer”

Legislação: Dec.‑Lei n.º 375/93, Dec.‑Lei n.º 116/99 e Dec.‑Lei n.º 219/2002 e Reg. (CE) 1493/9.

Castas:

VINHOS TINTOS: Aragonez (Tinta Roriz), Castelão (Periquita), Tinta Miúda, Touriga Nacional e Trincadeira  (Tinta Amarela), no conjunto ou separadamente, com um mínimo de 65% do encepamento,  Alicante Bouschet, Amostrinha, Baga, Cabernet Sauvignon, Caladoc,  Camarate, Jaen, Preto Martinho, Syrah, Tinta Barroca e Touriga Franca.

VINHOS BRANCOS: Arinto (Pedernã), Fernão Pires (Maria Gomes), Rabo de Ovelha, Seara Nova, e Vital. Alicante Branco, Alvarinho, Chardonnay, Jampal, Malvasia Rei, Ratinho, Sauvignon e Viosinho.

 

Designação: DOP “Arruda”

Legislação: Dec.‑Lei n.º 375/93, Dec.‑Lei n.º 116/99, e Dec.‑Lei n.º 219/2002, Reg. (CE) 1493/9.

Castas:

VINHOS TINTOS: Aragonez (Tinta Roriz), Castelão (Periquita), Tinta Miúda, Touriga Nacional e Trincadeira (Tinta Amarela), no conjunto ou separadamente, com um mínimo de 70% do encepamento, Caladoc, Alicante Bouschet, Cabernet Sauvignon, Camarate, Jaen, Syrah, Tinta Barroca e Touriga Franca.

VINHOS BRANCOS: Arinto (Pedernã), Fernão Pires (Maria Gomes), Rabo de Ovelha, Seara Nova, Vital, Alicante Branco, Chardonnay, Jampal, Malvasia Rei, Sauvignon e Viosinho.

 

Designação: DOP “Torres Vedras”

Legislação: Dec.‑Lei n.º 375/93, Dec.‑Lei n.º 116/99, Dec.‑Lei n.º 219/2002, Reg. (CE) 1493/99.

Castas:

VINHOS TINTOS: Aragonez (Tinta Roriz), Castelão (Periquita), Tinta Miúda e Touriga Nacional, Caladoc, Trincadeira (Tinta Amarela,  Alicante Bouschet,
Cabernet Sauvignon, Camarate, Jaen, Syrah, Tinta Barroca e Touriga Franca.

VINHOS BRANCOS: Arinto (Pedernã), Fernão Pires (Maria Gomes), Rabo de Ovelha, Seara Nova, e Vital, no conjunto ou separadamente, com um mínimo de 70% do encepamento, Alicante Branco, Alvarinho, Antão Vaz, Chardonnay, Malvasia Rei, Sauvignon e Viosinho.

 

Designação: DOP “Lourinhã”, DOP aguardente Vínica

Legislação: Decreto‑Lei n.º 34/92, Decreto‑Lei n.º 323/94, Reg. (CE) 1493/99.

Castas:

VINHOS TINTOS:  Cabinda

VINHOS BRANCOS: Alicante Branco, Alvadurão, Boal Espinho, Marquinhas, Malvasia Rei e Tália.

 

Designação: DOP “Bucelas”

Legislação: Decreto‑Lei n.º 43/2000, Reg. (CE) 1493/99.

Castas:

VINHOS BRANCOS: Arinto (Pedernã),  Sercial (Esgana Cão) e Rabo de Ovelha.

 

Designação: DOP “Carcavelos”

Legislação: Decreto‑Lei n.º 246/94, Reg. (CE) 1493/99.

Castas:

VINHOS TINTOS: Castelão (Periquita) e Preto Martinho.

VINHOS BRANCOS: Galego Dourado, Ratinho e Arinto (Pedernã).

 

Designação: DOP “Colares”

Legislação: Decreto‑Lei n.º 246/94, de 29 de Setembro, e Reg. (CE) 1493/99, de 17 de Maio.

Castas:

VINHOS TINTOS: Ramisco

VINHOS BRANCOS:  Malvasia

^