Duriense

Região vitivinícola: DURIENSE (Douro e Porto)

O início da viticultura no Douro deve ter origem no Calcolítico, mas os primeiros vestígios comprovados por escavações revelaram lagares romanos com instalação fixa coberta, do tipo lagar de pesos, com dois eixos cruzados (Foz‑Côa, Murça, Meda, etc.). A região do Douro representa a mais antiga demarcação vitícola realizada na Idade Moderna. Em 1756, o Marquês de Pombal delimitou a zona vinhateira do Douro praticamente com a área actual, hoje subdividida geograficamente em três regiões: Baixo Corgo, Alto Corgo e Douro Superior. O vinho do Porto (com elevado grau alcoólico entre os 19 e os 22% vol.), por interesse comercial dos ingleses, já no séc. XV desenvolveu uma dinâmica importante. O segredo do êxito foi um drástico controlo por um “tipo de medida especial” – no sentido de garantir a qualidade e evitar fraudes –, regulamentando através do benefício o ajuste das quotas da produção à procura do mercado, composto pela análise e determinação de um conjunto de diversos critérios na produção, para estimular o interesse do produtor em diferenciar a qualidade do vinho e da vinha (localização desta, inclinação, microclima, variedades, tipo de solo, classificação do rendimento em seis níveis…).

Com a recente e significativa evolução do prestígio do vinho, foi possível concertar políticas, veiculadas através do “Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto, I.P.”. A Universidade de Trás‑os‑Montes e Alto‑Douro e a associação ADVID, entre outros, asseguram a garantia de uma consequente “lógica de acção comum”. Hoje em dia, a área da região é da ordem dos 250.000 ha, dos quais cerca de 45.000 ha estão plantados com vinha.

As condições climáticas são tipicamente mediterrânicas, variando com a localização da vinha nas encostas dos rios e ribeiras. Devido à sua impressionante estrutura geológica associada à cultura do vinho pelo homem, a região dos vales do Alto Douro foi reconhecida como Património Mundial, pela UNESCO. A composição geológica da grande maioria dos solos durienses assenta em diferentes tipos de xistos metamórficos. Raramente se encontra granito, caso em que os solos são considerados com pontuação inferior para a atribuição de “benefício” para o Vinho do Porto. A maioria dos solos estão incluídos nos Leptosolos (do grego leptos, delgado), com pouca espessura acima da rocha‑mãe. Quando de origem granítica, os solos são mais férteis. A alta pedregosidade na superfície limita a perda de água e favorece o microclima ao nível das plantas. O pH ácido na maioria dos solos (com excepção do Douro superior) e a elevada inclinação do terreno exigem interferência humana. A disponibilidade de água, em média mais de 600 mm/m2, com os outros parâmetros edafoclimáticos condicionam uma perpétua situação de stress da videira, garantindo a grande qualidade dos vinhos da região.

O Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto, I.P, com a sigla IVDP, é a entidade certificadora dos produtos vitivinícolas com DO e IG desta região.

Tipos de produtos vitivinícolas

Vinhos DO Porto: branco e tinto; estilos diferentes: Ruby, Tawny, Branco, Vintage, LBV, data da colheita, indicação da idade (10/20/30/40 anos), Reserva.

Vinho IG ou regional Duriense: Tinto, Branco, Rosado.

Vinhos DO Douro: Tinto, Branco, Rosado.

Vinhos Espumantes DO Douro

Vinhos Licorosos DO Douro “Moscatel do Douro”

Aguardente de Vinho

 

Referências importantes na região:

Informações técnicas: IVDP, I.P. – INSTITUTO DOS VINHOS DO DOURO E DO PORTO, I.P., Rua dos Camilos, n.º 90, 5050‑272 PESO DA RÉGUA, Tel.: 254 320 130, Fax: 254 320 149, site: www.ivdp.pt, E‑mail: ivdp@ivdp.pt

Informações culturais do vinho da região: Confraria do Vinho do Porto, Rua Dr. António Granjo, 207, 4400‑124 Vila Nova da Gaia, Tel. 223745525, site: confrariavinhodoporto.com. Confraria dos Enófilos da Região Demarcada do Douro, Praça Renato Aguiar ‑ Edif. S. Tomé, R/c esq., 5050 Peso da Régua, Tel. 254321323.

Instituições de ensino superior: Universidade de Trás‑os‑Montes e Alto Douro UTAD, Quinta dos Prados, 5000‑262 Vila Real, Tel. 259350000, www.utad.pt; Escola Superior Agrária de Bragança, Campus de Santa Apolónia ‑ Apartado 1172, 5301‑855 Bragança; Telefone: (+351) 273 303 200 http://esa.ipb.pt

Entidade certificadora: IVDP, I.P. – INSTITUTO DOS VINHOS DO DOURO E DO PORTO, I.P., Rua dos Camilos n.º 90, 5050‑272 PESO DA RÉGUA, Tel.: 254 320 130, Fax: 254 320 149, site: www.ivdp.pt,  E‑mail: ivdp@ivdp.pt; Porto, Rua Ferreira Borges, 27, 4050‑253 Porto ‑ Tel: +351 222071600;

Informações de enoturismo: Rota do Vinho do Porto, Largo da Estação 5050‑237 Peso da Régua, Tel.: 254324774, site: www.rvp.pt

Informação sobre os produtores‑engarrafadores de vinho da região Douro e Porto: http://www.ivv.min‑agricultura.pt/np4/1736.html, → anuário 2011, página 130‑140. Site rota do vinho: www.rvp.pt

 

Designação: IGP “Duriense” (Vinho regional)

Legislação, IGP: Decreto‑lei 212/2004, Decreto‑lei n.º 173/2009; Reg. (CE) 1234/2003 (todas as castas abaixo referidas).

 

DOP “Porto” (vinho de Porto)

Legislação DOP: Portaria n.º 413/2001, Decreto‑Lei n.º 212/2004, Decreto‑Lei n.º 173/2009 e Reg. (CE) n.º 1234/2007 do Conselho (alterações Reg. (CE) n.º 491/2009). (as castas DOP em negrito)

VINHOS TINTOS: Alicante Bouschet, Alvarelhão, Alvarelhão‑Ceitão, Aragonez (Tinta Roriz), Aramon, Baga, Barca, Barreto, Bastardo, Bragão, Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon, Camarate, Carignan, Carrego Tinto, Casculho, Castelã, Castelão, Cidadelhe, Concieira, Cornifesto, Corropio, Donzelinho Tinto, Engomada, Espadeiro, Gamay, Gonçalo Pires, Gorda, Grand Noir, Grangeal, Grenache, Jaen, Lourela, Malandra, Malvasia Preta, Marufo, Melra, Merlot, Mondet, Moscatel Galego Tinto, Mourisco de Semente, Mourisco de Trevões, Nevoeira, Patorra, Petit Bouchet, Petit Verdot, Pinot Noir, Português Azul, Preto Marinho, Ricoca, Rioseira, Rufete, Santareno, São Saúl, Sevilhão, Sousão, Syrah, Tannat, Tinta Aguiar, Tinta Barroca, Tinta Carvalha, Tinta Fontes, Tinta Francisca, Tinta Lameira, Tinta Martins, Tinta Mesquita, Tinta Panajoia, Tinta Pereira, Tinta Pomar, Tinta Tabuaço, Tinto Cão, Tinto Sem Nome, Touriga Fêmea, Touriga Franca, Touriga Nacional, Trincadeira (Tinta Amarela), Valdosa, Verejoa, Vinhão, Zinfandel, Donzelinho‑Roxo, Gewurztraminer, Moscatel Galego Roxo (Moscatel Roxo).

VINHOS BRANCOS: Alicante Branco, Alvarelhão Branco, Arinto (Pedernã), Avesso, Batoca, Bical, Branco‑Especial, Branco Guimarães, Branda, Caramela, Carrega Branco, Cercial, Chardonnay, Chausselas, Chenin, Côdega de Larinho, Diagalves, Dona Branca, Donzelinho Branco, Dorinto, Estreito‑Macio, Fernão Pires (Maria Gomes) Folgasão, Godelho, Gouveio, Gouveio‑Estimado, Gouveio Real, Jampal, Malvasia Fina, Malvasia Parda, Malvasia‑Rei, Moscadet, Moscatel Galego Branco, Mourisco Branco, Muller‑Thurgau, Pé Comprido, Pinheira‑Branca, Pinot‑Blanc, Praça, Rabigato, Rabigato‑Franco, Rabigato‑Moreno, Rabo de Ovelha, Ratinho, Riesling, Samarrinho, Sarigo, Sauvignon, Semillon, Sercial, Síria, Tália, Tamarez, Terrantez, Touriga Branca, Trigueira, Valente, Verdelho, Verdial Branco, Viognier, Viosinho e Vital.

 

Designação: DOP “Douro”.

Legislação: Decreto‑Lei n.º 212/2004, de 23 de Agosto, Decreto‑Lei n.º 173/2009 e Reg. (CE) n.º 1234/2007 do Conselho (alterações Reg. (CE) n.º 491/2009).

CASTAS TINTAS: Barreto, Bastardo, Bragão, Camarate, Carignan, Carrega Tinto, Casculho, Castelã, Castelão (Periquita), Cidadelhe, Concieira, Cornifesto, Corropio, Donzelinho Tinto, Engomada, Espadeiro, Gonçalo Pires, Grand Noir, Grangeal, Jaen, Lourela, Malandra, Malvasia Preta, Marufo, Melra, Mondet, Mourisco de Semente, Nevoeira, Patorra, Petit Bouschet, Pinot Noir, Português Azul, Preto Martinho, Ricoca, Roseira, Rufete, Santareno, São Saúl, Sevilhão, Sousão, Tinta Aguiar, Tinta Barroca, Tinta Carvalha, Tinta Fontes, Tinta Francisca, Tinta Lameira, Tinta Martins, Tinta Mesquita, Tinta Penajóia, Tinta Pereira, Tinta Pomar, Tinta Tabuaço, Tinto Cão, Tinto Sem Nome, Touriga Fêmea, Touriga Franca, Touriga Nacional, Trincadeira (Tinta Amarela), Valdosa e Varejoa.

CASTAS BRANCAS: Alicante Branco, Alvarelhão Branco, Arinto (Pedernã), Avesso, Batoca, Bical, Branco Especial, Branco Guimarães, Caramela, Carrega Branco, Cercial, Chasselas, Côdega de Larinho, Diagalves, Dona Branca, Donzelinho Branco, Estreito Macio, Fernão Pires (Maria Gomes), Folgasão, Gouveio, Gouveio Estimado, Gouveio Real, Jampal, Malvasia Fina, Malvasia Parda, Malvasia Rei, Moscadet, Moscatel Galego Branco, Mourisco Branco, Pé Comprido, Pinheira Branca, Praça, Rabigato, Rabigato Franco, Rabigato Moreno, Rabo de Ovelha, Ratinho, Samarrinho, Sarigo, Semillon, Sercial (Esgana Cão), Síria (Roupeiro), Tália, Tamarez, Terrantez, Touriga Branca, Trigueira, Valente, Verdial Branco, Viosinho e Vital.

^