Avesso (PT)

Variedade: Branca | Categoria II | Portugal

SEM_IMAGEM

Ficha da Casta

Avesso

Origem da casta: Limitada à região do Vinho Verde, particularmente na sub-região de Baião. Menezes (1900) classifica-a em Baião e Resende.

Região de maior expansão: Minho.

Sinónimos oficiais (nacional e OIV): Não há.

Sinónimos históricos e regionais: Jaen Blanco de Andalucia. (J. Robinson, comunicação pessoal).

Homónimos: Desconhecidos.

Superfície vitícola actual: 790 ha.

Utilização actual a nível nacional: Inferior a 0,2%.

Tendência de desenvolvimento: Pouco procurada.

Intravariabilidade varietal da produção: Reduzida.

Qualidade do material vegetativo: Material policlonal RNSV; clones JBP em processo de admissão à certificação.

VVMD5 VVMD7 VVMD27 VrZag62 VrZag79 VVS2
Alelo1 Alelo2 Alelo1 Alelo2 Alelo1 Alelo2 Alelo1 Alelo2 Alelo1 Alelo2 Alelo1 Alelo2
222 240 235 235 181 189 186 186 243 247 137 153

Vinho de Qualidade DOC: «Vinho Verde» nas sub-regiões «Amarante», «Baião», «Paiva», «Sousa».

Vinho regional: «Minho».

Extremidade do ramo jovem: Aberta, com fraca densidade de pêlos prostrados e orla carmim forte.

Folha jovem: Verde com placas avermelhadas, página inferior glabra.

Flor: Hermafrodita.

Pâmpano: Estriado de vermelho, com gomos avermelhados.

Folha adulta: Tamanho médio, orbicular, inteira a sub-trilobada, limbo verde-médio, irregular, página inferior glabra. Dentes médios e rectilíneos. Seio peciolar pouco aberto com base em U, seios laterais abertos com base em V, pecíolo avermelhado.

Cacho: Médio, cónico com uma asa bem desenvolvida, medianamente compacto. Pedúnculo médio.

Bago: Elíptico, médio, verde amarelado; película fina, polpa de consistência média.

Sarmento: Castanho-amarelado.

Abrolhamento: Precoce, 5 dias antes da Fernão Pires.

Floração: Precoce, 3 dias antes da Fernão Pires.

Pintor: Tardio, 14 dias após a Fernão Pires.

Maturação: Precoce, em simultâneo com a Fernão Pires.

Vigor: Muito vigorosa e rústica.

Porte (tropia): Semi-erecto.

Entrenós: Grandes.

Tendência para o desenvolvimento de netas: Elevado.

Rebentação múltipla: Pouca.

Índice de fertilidade: Média, 1,6 inflorescências por gomo abrolhado.

Produtividade: Medianamente produtiva (6.000 – 20.000 kg/ha). Valores RNSV: 3,88 kg/pl (média de, no mínimo, 40 cultivares, registada em Baião, durante 4 anos).

Estabilidade da produção (diferentes anos e localidades): Regular.

Homogeneidade de produção (entre as plantas): Uniforme.

Índice de Winkler (somatório de temperaturas activas): 1.480 horas acima de 10º C, com produção de 14 t/ha (Montemor-o-Novo).

Producção recomendada: 8.000 l/ha.

Sensibilidade abiótica: Gosta de zonas bastante ventiladas e inclinadas.

Sensibilidade criptogâmica: Muito sensível ao Míldio e à Botritis (cacho), sensível ao Oídio.

Estado sanitário (sistémico) antes da selecção: 65% GLRaV3, 20% GLRaV2+6, 10% GFkV, >50% RSPV.

Sensibilidade a parasitas: Ácaros.

Tamanho do cacho: Médio, 150 - 290 g.

Compactação do cacho: Medianamente compacto.

Bago: Médio 1,4 g.

Película: Pouca espessa.

Nº de graínhas: 2 - 2,2 por bago.

Sistema de condução: Adapta-se a conduções tradicionais da região, mas também ao guyot ou cordão.

Solo favorável para obter qualidade: Terrenos secos, derivado de granito.

Clima favorável: Tolera ambiente húmido, mas precisa de calor.

Compasso: Adapta-se ao sistema de condução escolhido.

Porta-enxertos: Não se conhece falta de afinidade varietal.

Desavinho/Bagoinha: Não tem.

Conservação do cacho após maturação: Não aguenta muito.

Protecção contra ataques de pássaros: Pouca.

Aptidão para vindima mecânica: Boa aptidão, desde que as condições técnicas permitam.

Tipo de vinho: Vinho Verde (leve).

Grau alcoólico provável do mosto: Baixo (10% vol.); vinho leve. Valores RNSV: 10,51% vol. (média de, no mínimo, 40 cultivares, registada em Cinfães, durante 5 anos).

Acidez natural: Média-elevada. Valores RNSV: 9,94 g/l (média de, no mínimo, 40 cultivares, registada em Cinfães, durante 5 anos).

Sensibilidade do mosto à oxidação: Medianamente sensível.

Intensidade da cor: Intensa.

Tonalidade: Palha aberta, com reflexos esverdeados.

Sensibilidade do vinho à oxidação: Bastante sensível.

Análise laboratorial dos aromas: Misto de floral e frutado.

Capacidade de envelhecimento do vinho: Fraca, vinho para consumir no ano.

Recomendação para lote: Arinto, Trajadura e Azal.

Potencial para vinho elementar: Elevado.

Caracterização habitual do vinho: De cor palha aberta intensa com reflexos esverdeados, aroma misto entre frutado (laranja e pêssego), amendoado (frutos secos) e floral, sendo o carácter frutado dominante. Delicado, fino, subtil e complexo, sabor frutado com ligeiro acídulo, fresco, harmonioso, encorpado e persistente. Estas potencialidades de aroma e sabor revelam-se somente alguns meses após a vinificação (EVAG, 2002).

Qualidade do vinho: Em condições técnicas adequadas, é um dos melhores vinhos leves, mesmo em comparação com as castas da categoria «elite», mas muito sensível à oxidação e à perda de acidez. Sem flexibilidade regional fora do seu habitat tradicional.

Particularidade da casta: Casta destinada à produção de vinho de baixa graduação alcoólica (Vinho Verde), com baixa plasticidade geográfica. Vinhos e mostos de elevada sensibilidade à oxidação.

Outras castas da mesma categoria: